Decepcionados com Deus – Philip Yancey (Reflexão)

A leitura deste livro pra mim tem trazido conforto e confronto. Conforto por conhecer através da iluminação do texto bíblico pelo autor que nos traz o entendimento da manifestação de um Deus vivo, um Deus q intervém em nossa história, mas um Deus q deseja ser amado! E aí que entra a parte do confronto, este “amor” deve ser revelado pela fé. Não em troca, em barganha, por emoção, por sentimento, mas um amor racional, de devoção, vivido constantemente sem esperar nada em troca a não ser o prazer de ter esse amor aceito pelo seu criador.

Por isso é desafiador. Porque precisamos lembrar que ao se manifestar ao seu povo, nada impediu que esse adorasse outros deuses, ao fazer prodígios e maravilhas por seus profetas nada os impediu de caçá-los e matá-los. E então chegou o tempo que Deus usou os seus profetas apenas para mencionar a Sua palavra, e a partir de então a fé teria que ser praticada sem o palpável, o concreto, mas pela certeza daquilo que não se vê.
Pois é, hoje nos questionamos sobre os milagres, sobre a nuvem de fumaça, sobre a cortina de fogo, mas não questionamos nossa obediência. E essa é a parte da manifestação do nosso amor a Deus.

Questionamos o mal, o sofrimento, as dores, as doenças, mas não colocamos em questionamento a nossa fé, a nossa devoção, a nossa conduta.

Clamamos por uma manifestação em nossas vidas a fim de que todas as dúvidas quanto a Sua bondade venham desaparecer e que a fé venha se revelar mais forte do que nunca, mas ao invés disto o silêncio deste Deus poderoso coloca em prova a nossa perseverança em ama-Lo pelo que Ele é.

Como podemos dizer que Deus é amor diante das mães que perdem seus filhos por doenças terríveis?Como podemos dizer que Deus está no controle do mundo diante de tanta miséria, desigualdade, injustiça e sofrimento? Por fim como podemos crer num Deus que permite que muitos dos seus seguidores agonizem até a morte por amor a Ele?

Podemos afirmar que Deus é amor pela sua maior prova de compaixão, enviou o seu filho inocente pra morrer como assassino. E mesmo com todo o sofrimento que passou não exigiu nenhuma manifestação doida de amor de sua criação a não ser Crer de todo o coração em seu maior ato de redenção.

Por este motivo ganhamos a nossa liberdade para ama-Lo ou não ama-Lo, não mais forçado ou por lei, mas simplesmente por reconhecer quem Ele é. Deus em todo momento em sua palavra revela que o maior ato de amor do humano a Ele é a fé, seja ela manifesta na alegria ou na tristeza.

“O amor nunca perece; mas as profecias desaparecerão, as línguas cessarão, o conhecimento passará.” (‭1 Coríntios‬ ‭13‬:‭8‬ NVI)

Anúncios

Sobre Paulo Frutuoso

Pai em aprendizado. Marido apaixonado. Cidadão inconformado. Cristão reformado. (Sempre buscando alinhar conhecimento e prática)

Publicado em 22 de julho de 2014, em Reflexão e marcado como . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: